Preparando a celebração Cada pessoa leva uma foto do pai vivo ou falecido. Quadro ou imagem de São José e flores naturais (se possível lírios brancos). Providenciar uma vela grande para colocar no centro e uma pequena para cada participante. Providenciar um cartão com a frase: “Obrigado Pai por ser luz em minha vida.”. Acolhida Dirigente: A exemplo de São José, homem justo e fiel a Deus, todo pai é chamado a educar seus filhos no caminho do Senhor. É missão do pai proteger e cuidar de seus filhos. Nem sempre é fácil, mas traz alegria, porque ser pai é uma dádiva de Deus. Iniciemos nossa celebração invocando a Trindade: Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Todos: Amém Canto: Utopia Eu tantas vezes, vi meu pai chegar cansado Mas aquilo era sagrado, um por um ele afagava E perguntava quem fizera estripulias E mamãe nos defendia e tudo aos poucos se ajeitava O sol se punha, a viola alguém trazia Todo mundo então queria ver o papai cantar com a gente Desafinado, meio rouco, voz cansada Ele cantava mil toadas, seu olhar no sol poente Chegou a hora de partilhar a vida (Cada pessoa pode contar um momento/acontecimento importante vivido por ser pai ou com o seu pai.) Ato penitencial Dirigente: De coração contrito e humilde reconheçamos, diante de Deus, nossos pecados. Esposo: Pelas vezes que não me esforcei para compreender melhor e mais profundamente minha esposa e meus filhos; perdão Senhor. Todos: Senhor, tende piedade de nós. Esposa: Por todas as vezes que juntos, como família, não agradecemos a Deus quando recebemos seus favores; perdão Senhor. Todos: Cristo, tende piedade de nós. Filho: Pelas vezes que não respeitamos ou valorizamos nossos pais; perdão Senhor. Todos: Senhor, tende piedade de nós. Dirigente: Convictos de que Deus Pai acolhe o nosso pedido de perdão, cantemos. Canto de aclamação: "Oração da Família", "Olhando a Sagrada Família", ou outro escolhido pela equipe. Durante o canto, fazer a entronização da Bíblia, de uma vela acesa, da imagem ou estampa de São José ou da Sagrada Família (opcionais). Leitura Bíblica Leitura Bíblica: Mc 5,21-24 e 35-43 (Pode ser dialogado: narrador, Jairo [um pai], Jesus, o mensageiro.) 21. Jesus atravessou de barca novamente para o outro lado do mar. Uma numerosa multidão se reuniu junto dele, e Jesus ficou na praia. 22. Aproximou-se um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo. Quando viu Jesus, caiu a seus pés, 23. e pediu com insistência: "Minha filhinha está morrendo. Vem e põe as mãos sobre ela, para que sare e viva." 24. Jesus acompanhou Jairo. E numerosa multidão o seguia e o apertava de todos os lados. 35. Jesus ainda estava falando, quando chegaram algumas pessoas da casa do chefe da sinagoga e disseram a Jairo: "Sua filha morreu. Por que você ainda incomoda o Mestre?" 36. Jesus ouviu a notícia e disse ao chefe da sinagoga: "Não tenha medo; apenas tenha fé!" 37. E Jesus não deixou que ninguém o acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e seu irmão João. 38. Quando chegaram à casa do chefe da sinagoga, Jesus viu a confusão e ouviu as pessoas chorando e gritando. 39. Jesus entrou e disse: "Por que essa confusão e esse choro? A criança não morreu. Ela está apenas dormindo." 40. As pessoas começaram a zombar dele. Mas Jesus mandou que todos saíssem, menos o pai e a mãe da menina, e os três discípulos que o acompanhavam. Depois entraram no quarto onde a menina estava. 41. Jesus pegou a menina pela mão e disse: "Talita cúmi", que quer dizer: "Menina, - eu lhe digo levante-se!!" 42. A menina levantou-se imediatamente e começou a andar, pois já tinha doze anos. E todos ficaram muito admirados. 43. Jesus recomendou com insistência que ninguém ficasse sabendo disso. E mandou dar comida para a menina. Refletindo sobre o texto Leitor 1: Jairo, um pai aflito, vai ao encontro de Jesus, ajoelha-se e suplica pela saúde de sua filha: "Minha filhinha está nas últimas. Vem, impõe as mãos sobre ela para que fique curada e viva!" E Jesus vai com ele. Leitor 2: Enquanto Jesus ainda estava falando com a mulher que sofria de hemorragia, Jairo recebeu uma má notícia: "Tua filha morreu." Jesus, no entanto, lhe disse para não ter medo e crer somente. E seguiram para a casa de Jairo. Leitor 1: Quando chegaram, muita gente chorava e lamentava a morte da menina. Jesus então disse: "A menina não morreu, ela dorme". Naturalmente, esta palavra de Jesus causou estranheza e o povo começou a zombar dele. Leitor 2: Jesus, o pai e a mãe da menina, juntamente com os três discípulos: Pedro, Tiago e João, foram até o lugar onde ela estava. Jesus pegou a menina pela mão e lhe disse: "Menina, eu te digo,
levanta-te". A menina obedeceu à palavra de Jesus e se levantou. Grande foi à admiração das pessoas. Chama a atenção o cuidado de Jesus com a menina, ao pedir que lhe dessem de comer. Leitor 1: Assim é Jesus. Ele passou pelo mundo fazendo o bem e mostrando o amor de Deus. Nem sempre atende nossos pedidos, mas sabemos que podemos contar com ele, porque nos ama e cuida de nós. A confiança em Jesus e a obediência à sua Palavra é que sustenta a nossa fé. Vamos apresentar a Deus as nossas preces Dirigente: Seguindo o exemplo de Jairo, supliquemos ao Deus da vida: "Senhor, vem salvar-nos!". 1. Muitos pais são dedicados e lutam para fazer seus filhos felizes. Para que nunca se cansem de fazer o bem e sejam reconhecidos e amados, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! 2. Há muitas pessoas cujos pais já faleceram. Para que a lembrança de seus pais lhes traga boas recordações e sentimentos de gratidão, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! 3. Sabemos que alguns pais sofrem, estão desempregados, bebem muito, são abandonados, estão doentes. Para que o amor e a força de Deus os ajudem em suas dificuldades, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! 4. Quantos pais são verdadeiros catequistas de seus filhos, levando-os pelos caminhos de Deus, fazendo deles discípulos de Jesus. Para que o Senhor lhes conceda a graça de verem os frutos da semente que plantaram, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! Dirigente: Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Jesus Cristo Vosso Filho, na unidade do Espirito Santo. Todos: Amém Dirigente: Vamos dar as mãos e rezar um Pai-Nosso e uma Ave Maria. Bênção dos pais Dirigente: Jairo pediu para Jesus impor as mãos sobre sua filha e Jesus a segurou pela mão. Vamos impor nossas mãos sobre nosso pai ou segurar a sua mão, pedindo a bênção de Deus. Após a oração, façamos o sinal da cruz em sua fronte e peçamos a bênção. Se houver algum pai sozinho, alguém se aproxime dele. Todos: Bendito seja o Senhor pelos pais. Como é bom ter um pai, que nos protege e nos anima com suas palavras de amor e que cuida de nós. Por tudo isso, Senhor, te damos graças. Abençoa estes pais, para que sejam cada vez mais felizes. Bendito seja o Senhor! Dirigente: Ó Deus, Pai de misericórdia, olhai vossa família aqui reunida e derramai as vossas bênçãos sobre nós. Ajudai todos os pais a serem fiéis à sua missão, auxiliando-os em suas fraquezas. Por Cristo, nosso Senhor. Todos: Amém. (Os filhos presentes acendem sua vela na vela maior, pega um cartão com a mensagem: “Obrigado pai, por ser luz em minha vida” e entrega para seu pai). Pais: Nós Vos agradecemos, Senhor, por nos ter confiado tão grandiosa missão. Pedimos-vos que nos fortaleça, por Vosso Espírito, para que, a exemplo de São José, possamos ser dedicados no amor e na fidelidade a Vós e a nossas famílias. Bênção final Dirigente: O Senhor nos abençoe, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Todos: Amém. Canto: Oração pela família (Pe. Zezinho) Oração Pela Família Padre Zezinho Que nenhuma família comece em qualquer de repente Que nenhuma família termine por falta de amor Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente E que nada no mundo separe um casal sonhador! Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte Que ninguém interfira no lar e na vida dos dois Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte Que eles vivam do ontem, do hoje em função de um depois! Que a família comece e termine sabendo onde vai E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor E que os filhos conheçam a força que brota do amor! Abençoa, Senhor, as famílias! Amém! Abençoa, Senhor, a minha também (bis) Que marido e mulher tenham força de amar sem medida Que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão Que as crianças aprendam no colo, o sentido da vida Que a família celebre a partilha do abraço e do pão! Que marido e mulher não se traiam, nem traiam seus filhos! Que o ciúme não mate a certeza do amor entre os dois! Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho, seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois! Que a família comece e termine sabendo onde vai E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor E que os filhos conheçam a força que brota do amor! Abençoa, Senhor, as famílias! Amém! Abençoa, Senhor, a minha também (bis) Confraternização (Se for possível, fazer uma confraternização com os pais presentes).
Preparando a celebração Cada pessoa leva uma foto do pai vivo ou falecido. Quadro ou imagem de São José e flores naturais (se possível lírios brancos). Providenciar uma vela grande para colocar no centro e uma pequena para cada participante. Providenciar um cartão com a frase: “Obrigado Pai por ser luz em minha vida.”. Acolhida Dirigente: A exemplo de São José, homem justo e fiel a Deus, todo pai é chamado a educar seus filhos no caminho do Senhor. É missão do pai proteger e cuidar de seus filhos. Nem sempre é fácil, mas traz alegria, porque ser pai é uma dádiva de Deus. Iniciemos nossa celebração invocando a Trindade: Em nome do Pai do Filho e do Espírito Santo. Todos: Amém Canto: Utopia Eu tantas vezes, vi meu pai chegar cansado Mas aquilo era sagrado, um por um ele afagava E perguntava quem fizera estripulias E mamãe nos defendia e tudo aos poucos se ajeitava O sol se punha, a viola alguém trazia Todo mundo então queria ver o papai cantar com a gente Desafinado, meio rouco, voz cansada Ele cantava mil toadas, seu olhar no sol poente Chegou a hora de partilhar a vida (Cada pessoa pode contar um momento/acontecimento importante vivido por ser pai ou com o seu pai.) Ato penitencial Dirigente: De coração contrito e humilde reconheçamos, diante de Deus, nossos pecados. Esposo: Pelas vezes que não me esforcei para compreender melhor e mais profundamente minha esposa e meus filhos; perdão Senhor. Todos: Senhor, tende piedade de nós. Esposa: Por todas as vezes que juntos, como família, não agradecemos a Deus quando recebemos seus favores; perdão Senhor. Todos: Cristo, tende piedade de nós. Filho: Pelas vezes que não respeitamos ou valorizamos nossos pais; perdão Senhor. Todos: Senhor, tende piedade de nós. Dirigente: Convictos de que Deus Pai acolhe o nosso pedido de perdão, cantemos. Canto de aclamação: "Oração da Família", "Olhando a Sagrada Família", ou outro escolhido pela equipe. Durante o canto, fazer a entronização da Bíblia, de uma vela acesa, da imagem ou estampa de São José ou da Sagrada Família (opcionais). Leitura Bíblica Leitura Bíblica: Mc 5,21-24 e 35-43 (Pode ser dialogado: narrador, Jairo [um pai], Jesus, o mensageiro.) 21. Jesus atravessou de barca novamente para o outro lado do mar. Uma numerosa multidão se reuniu junto dele, e Jesus ficou na praia. 22. Aproximou-se um dos chefes da sinagoga, chamado Jairo. Quando viu Jesus, caiu a seus pés, 23. e pediu com insistência: "Minha filhinha está morrendo. Vem e põe as mãos sobre ela, para que sare e viva." 24. Jesus acompanhou Jairo. E numerosa multidão o seguia e o apertava de todos os lados. 35. Jesus ainda estava falando, quando chegaram algumas pessoas da casa do chefe da sinagoga e disseram a Jairo: "Sua filha morreu. Por que você ainda incomoda o Mestre?" 36. Jesus ouviu a notícia e disse ao chefe da sinagoga: "Não tenha medo; apenas tenha fé!" 37. E Jesus não deixou que ninguém o acompanhasse, a não ser Pedro, Tiago e seu irmão João. 38. Quando chegaram à casa do chefe da sinagoga, Jesus viu a confusão e ouviu as pessoas chorando e gritando. 39. Jesus entrou e disse: "Por que essa confusão e esse choro? A criança não morreu. Ela está apenas dormindo." 40. As pessoas começaram a zombar dele. Mas Jesus mandou que todos saíssem, menos o pai e a mãe da menina, e os três discípulos que o acompanhavam. Depois entraram no quarto onde a menina estava. 41. Jesus pegou a menina pela mão e disse: "Talita cúmi", que quer dizer: "Menina, - eu lhe digo levante-se!!" 42. A menina levantou-se imediatamente e começou a andar, pois já tinha doze anos. E todos ficaram muito admirados. 43. Jesus recomendou com insistência que ninguém ficasse sabendo disso. E mandou dar comida para a menina. Refletindo sobre o texto Leitor 1: Jairo, um pai aflito, vai ao encontro de Jesus, ajoelha-se e suplica pela saúde de sua filha: "Minha filhinha está nas últimas. Vem, impõe as mãos sobre ela para que fique curada e viva!" E Jesus vai com ele. Leitor 2: Enquanto Jesus ainda estava falando com a mulher que sofria de hemorragia, Jairo recebeu uma má notícia: "Tua filha morreu." Jesus, no entanto, lhe disse para não ter medo e crer somente. E seguiram para a casa de Jairo. Leitor 1: Quando chegaram, muita gente chorava e lamentava a morte da menina. Jesus então disse: "A menina não morreu, ela dorme". Naturalmente, esta palavra de Jesus causou estranheza e o povo começou a zombar dele. Leitor 2: Jesus, o pai e a mãe da menina, juntamente com os três discípulos: Pedro, Tiago e João, foram até o lugar onde ela estava. Jesus pegou a menina pela mão e lhe disse: "Menina, eu te digo, levanta-te". A menina obedeceu à palavra de Jesus e se levantou. Grande foi à admiração das pessoas. Chama a atenção o cuidado de Jesus com a menina, ao pedir que lhe dessem de comer. Leitor 1: Assim é Jesus. Ele passou pelo mundo fazendo o bem e mostrando o amor de Deus. Nem sempre atende nossos pedidos, mas sabemos que podemos contar com ele, porque nos ama e cuida de nós. A confiança em Jesus e a obediência à sua Palavra é que sustenta a nossa fé. Vamos apresentar a Deus as nossas preces Dirigente: Seguindo o exemplo de Jairo, supliquemos ao Deus da vida: "Senhor, vem salvar- nos!". 1. Muitos pais são dedicados e lutam para fazer seus filhos felizes. Para que nunca se cansem de fazer o bem e sejam reconhecidos e amados, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! 2. Há muitas pessoas cujos pais já faleceram. Para que a lembrança de seus pais lhes traga boas recordações e sentimentos de gratidão, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! 3. Sabemos que alguns pais sofrem, estão desempregados, bebem muito, são abandonados, estão doentes. Para que o amor e a força de Deus os ajudem em suas dificuldades, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! 4. Quantos pais são verdadeiros catequistas de seus filhos, levando-os pelos caminhos de Deus, fazendo deles discípulos de Jesus. Para que o Senhor lhes conceda a graça de verem os frutos da semente que plantaram, rezemos. Todos: Senhor, vem salvar-nos! Dirigente: Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Jesus Cristo Vosso Filho, na unidade do Espirito Santo. Todos: Amém Dirigente: Vamos dar as mãos e rezar um Pai- Nosso e uma Ave Maria. Bênção dos pais Dirigente: Jairo pediu para Jesus impor as mãos sobre sua filha e Jesus a segurou pela mão. Vamos impor nossas mãos sobre nosso pai ou segurar a sua mão, pedindo a bênção de Deus. Após a oração, façamos o sinal da cruz em sua fronte e peçamos a bênção. Se houver algum pai sozinho, alguém se aproxime dele. Todos: Bendito seja o Senhor pelos pais. Como é bom ter um pai, que nos protege e nos anima com suas palavras de amor e que cuida de nós. Por tudo isso, Senhor, te damos graças. Abençoa estes pais, para que sejam cada vez mais felizes. Bendito seja o Senhor! Dirigente: Ó Deus, Pai de misericórdia, olhai vossa família aqui reunida e derramai as vossas bênçãos sobre nós. Ajudai todos os pais a serem fiéis à sua missão, auxiliando-os em suas fraquezas. Por Cristo, nosso Senhor. Todos: Amém. (Os filhos presentes acendem sua vela na vela maior, pega um cartão com a mensagem: “Obrigado pai, por ser luz em minha vida” e entrega para seu pai). Pais: Nós Vos agradecemos, Senhor, por nos ter confiado tão grandiosa missão. Pedimos-vos que nos fortaleça, por Vosso Espírito, para que, a exemplo de São José, possamos ser dedicados no amor e na fidelidade a Vós e a nossas famílias. Bênção final Dirigente: O Senhor nos abençoe, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Todos: Amém. Canto: Oração pela família (Pe. Zezinho) Oração Pela Família Padre Zezinho Que nenhuma família comece em qualquer de repente Que nenhuma família termine por falta de amor Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente E que nada no mundo separe um casal sonhador! Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte Que ninguém interfira no lar e na vida dos dois Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte Que eles vivam do ontem, do hoje em função de um depois! Que a família comece e termine sabendo onde vai E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor E que os filhos conheçam a força que brota do amor! Abençoa, Senhor, as famílias! Amém! Abençoa, Senhor, a minha também (bis) Que marido e mulher tenham força de amar sem medida Que ninguém vá dormir sem pedir ou sem dar seu perdão Que as crianças aprendam no colo, o sentido da vida Que a família celebre a partilha do abraço e do pão! Que marido e mulher não se traiam, nem traiam seus filhos! Que o ciúme não mate a certeza do amor entre os dois! Que no seu firmamento a estrela que tem maior brilho, seja a firme esperança de um céu aqui mesmo e depois! Que a família comece e termine sabendo onde vai E que o homem carregue nos ombros a graça de um pai Que a mulher seja um céu de ternura, aconchego e calor E que os filhos conheçam a força que brota do amor! Abençoa, Senhor, as famílias! Amém! Abençoa, Senhor, a minha também (bis) Confraternização (Se for possível, fazer uma confraternização com os pais presentes).
Imprimir Celebração

CELEBRAÇÕES EM FAMÍLIA

DIOCESE DE LUZ - MG